Al Maghreb baladun jamil

Assalam ualaikum wa rahmatullahi wa barakatuhu queridos e queridas. Conforme prometido relatarei minha viagem a Casablanca, Marrocos - espero que vocês gostem, pois, fazer um "diário de bordo" não parece fácil. Alguns dia antes de embarcar eu estava um pouco ansioso, mas, no dia em que pisei no Aeroporto de Guarulhos, ah! Uma maravilhosa sensação surgiu em meu coração e se espalhou por todo corpo. Aproximadamente dez horas para cruzar o oceano Atlântico para então desembarcar em Madri - que lugar lindo, subhana Allah. Isso porque eu só permaneci nos arredores do miolo da cidade, pois, o vôo para Casablanca sairia em 5 horas, portanto, foi uma rápida estada em solo Espanhol. Madri é uma linda cidade e as pessoas que conheci por lá, espanhóis natos, foram muito amáveis comigo, e, semrpe dispostos a me ajudar quando necessário, basta uma coisa meus caros: abordá-los educadamente, então, as portas das "Boas Vindas" serão abertas. De volta ao Aeroporto de Barajas tive de aguardar 5 horas o vôo para Casablanca - pelo visto o apagão aéreo não ocorre somente no Brasil. Após uma hora e quinze minutos de vôo, enfim, Al Dhar al Baida. Desembarquei às 22:00 era bem tarde, visto que, a previsão de chegada era às 17:00, enfim, chegamos muito bem, al hamdu lillah. Dia seguinte acordo bem cedo, por volta das 4:30 da manhã ao ouvir Allahu akbar, Allahu Akbar..., que lindo ser despertado por este som ecoando por toda cidade, insha Allah um dia em São Paulo também será assim, basta nos empenharmos no trabalho de Dawa e Tabligh. Louvei o Altíssimo e voltei a dormir. Oito horas em ponto acordei ansioso para literalmente mergulhar na cidade. Casablanca é super moderna, lembra muito São Paulo em minha opinião. Ao mesmo tempo que se vê marroquinos bem ocidentalizados, encontra-se também homens e mulheres trajados com roupas típicas, o que muito bonito. A foto acima é do souk de Khabuz, encontra-se de tudo lá; roupas, artesanato berbere, comida, algumas peças de móveis, livros, etc., é incrível e maravilhoso. Mas, cuidado, eles vendem os produtos pelo preço dez vezes acima do normal, portanto, é uma conduta moral pechinchar com os cemerciantes marroquinos. Insha Allah na próxima postagem contarei mais sobre Casablanca. Fiquem com Allah e ila liqaa.

Comentários

Anônimo disse…
Boa noite Leandro!
Você poderia comenter mais de alguns hábitos dos marroquinos, de como foi o seu contato com eles? Pouco sei de sua cultura...
Grata,
Aline.

Postagens mais visitadas deste blog

Antes de você chegar

Responsabilidade

Welcome to life